Integração com a graduação

O fortalecimento do PPGI vem tendo reflexo direto sobre a graduação, propiciando um aumento expressivo de novas oportunidades de participação dos graduandos em Ciência da Computação e Engenharia de Computação em atividades de pesquisa: em 2006, apenas 4 professores do PPGI (o total de professores era 26) orientaram alunos de Iniciação Científica (IC) e o total de bolsistas era 12; em 2010, 12 professores, dentre os 25 do PPGI, orientaram alunos de IC e o número total de bolsas era 20. No quadriênio, os números foram:

  • 2013: 18 professores, 33 bolsistas;
  • 2014: 12 professores, 25 bolsistas;
  • 2015: 08 professores, 12 bolsistas;
  • 2016: 13 professores, 39 bolsistas (+ 3 alunos sem bolsa).

Ou seja, o número médio de professores do PPGI participando de projetos de IC no quadriênio (12,75) triplicou quando comparado a 2006. E o número médio de bolsas de IC (27,25) mais que duplicou comparado com 2006, aumentando em aproximadamente 35% em relação aos números de 2010.

Além de atuar na graduação orientando IC, os docentes do PPGI ministram disciplinas na graduação, em especial nos cursos de Engenharia de Computação e Ciência da Computação da UFES. Os números do quadriênio são:

  • 2013: 23 dos 28 docentes (82%) ministraram disciplinas, média de 1,38 disciplinas de graduação por docente por período letivo;
  • 2014: 18 de 30 (60%), média de 1,55;
  • 2015: 21 dos 28 (75%), média de 1,33;
  • 2016: 20 dos 28 (71%), média de 1,32.

Nota-se uma diminuição da média de disciplinas por docente do PPGI, permitindo que os mesmos possam despender mais tempo de trabalho em atividades de pesquisa e orientação.

Outra forma de integração com a graduação consiste da orientação de Projetos Finais de Graduação de alunos dos cursos de Ciência da Computação e Engenharia de Computação da UFES. Grande parte do corpo docente do PPGI orienta este tipo de trabalho, muitas vezes relacionando-os às pesquisas de mestrado e/ou doutorado, reforçando no aluno o interesse pela pesquisa científica e desejo de ingresso em programas de pós-graduação, particularmente no PPGI.

Essa interação do corpo docente do PPGI com alunos da graduação tem contribuído visivelmente para a melhoria da formação acadêmica destes alunos. Uma consequência direta dessa maior interação é que hoje parte dos egressos dos cursos de graduação do Centro Tecnológico com o maior grupo de disciplinas oferecidas pelo Departamento de Informática (Ciência da Computação e Engenharia de Computação), que tem interesse em continuar estudos de pós-graduação, tem optado por fazer o mestrado no PPGI, ao contrário de anos atrás, quando esses alunos – geralmente de alto desempenho escolar – preferiam fazê-lo em outros centros do país, em especial Rio de Janeiro, São Paulo e Campinas.

A razão para tal mudança está fortemente associada à nova realidade do programa, que oferece agora um ambiente muito mais propício ao desenvolvimento da pesquisa científica, uma maior capacidade e qualidade de orientação, e novas oportunidades de bolsas, além de infraestrutura física e computacional adequada e meios de financiamento da divulgação da pesquisa em periódicos e conferências (por meio do PROAP). Por outro lado, a melhoria da formação dos alunos de graduação beneficia diretamente os cursos de mestrado e doutorado do PPGI, uma vez que esses alunos ingressam com uma formação mais sólida e são expostos às atividades de pesquisa mais cedo, antecipando algumas etapas da sua formação científica.

Cabe ressaltar a relevância deste novo cenário para a melhoria do setor de TIC (Tecnologia de Informação e Comunicação) no estado do Espírito Santo. Sendo os cursos de Mestrado em Informática e Doutorado em Ciência da Computação do PPGI os únicos da área no estado (segundo dados da própria plataforma Sucupira), e à medida que parte dos seus egressos são absorvidos por empresas e instituições locais, o PPGI cumpre com sua missão de contribuir para a melhoria da qualificação profissional e para o desenvolvimento tecnológico estadual.

Estágio de docência:

Outra importante forma de interação entre pós-graduação e graduação é o Estágio de Docência.

O Estágio de Docência visa iniciar o estudante do PPGI no exercício das atividades relacionadas ao ensino na área de Computação. Ele é desempenhado por alunos de mestrado ou doutorado, regularmente matriculados no PPGI, e consiste no auxílio às atividades acadêmicas associadas às disciplinas de graduação ou pós-graduação do Departamento de Informática da UFES. De maneira geral, são alocadas para Estágio de Docência as disciplinas mais básicas da grade curricular dos cursos de graduação, que possuem grande demanda por parte dos alunos.

O Estágio de Docência do aluno de mestrado compreende 1 (um) semestre letivo e do aluno de doutorado compreende (2) dois semestres letivos. Cada semestre letivo do Estágio de Docência corresponde a 60 horas de trabalho sob supervisão docente e pode ser realizado na modalidade de quatro (4) créditos, quando as atividades realizadas forem equiparáveis ao demandado por aulas teóricas e seminários, ou na modalidade de dois (2) créditos, quando as atividades realizadas forem equiparáveis ao demandado por estudos independentes e aulas práticas. O Estágio de Docência é supervisionado por um professor designado pelo Colegiado do PPGI.

Seguem abaixo a quantidade de Estágios de Docência realizados no PPGI nos últimos seis semestres:
* 2014/1: 6;
* 2014/2: 19; (total: 25 em 2014)
* 2015/1: 9;
* 2015/2: 20; (total: 29 em 2015)
* 2016/1: 12;
* 2016/2: 14. (total: 26 em 2016)

Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910